SBD-GO
NOTÍCIA


20
Jan

JANEIRO ROXO: SBD-GO APOIA A CAMPANHA DE CONSCIENTIZAçãO SOBRE A HANSENíASE



Considerada uma das doenças mais antigas da humanidade, a hanseníase ainda hoje representa um grave problema de saúde pública no Brasil. De evolução crônica e ainda cercada por preconceitos, a doença se manifesta principalmente por meio de lesões na pele que, quando não tratadas precocemente, podem causar sérias deformidades e incapacidade física.


O Brasil ocupa o segundo lugar mundial em número de casos novos de hanseníase diagnosticados anualmente, sendo superado apenas pela Índia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2017, o Brasil registrou 26.875 casos novos, o que representa 12,9 casos em cada grupo de 100 mil habitantes. Em 2018, segundo o Ministério da Saúde, foram 28.657 novos casos.


Para alertar e chamar a atenção das pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce desta doença foi criada a campanha Janeiro Roxo e instituído no último domingo do mês o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. A campanha conta com o apoio da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Goiás (SBD-GO), que sempre tem a hanseníase no foco de suas ações educativas realizadas ao longo do ano.


Saiba mais



Sintomas


Manchas esbranquiçadas, róseas ou avermelhadas no corpo, geralmente com diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou ao tato. Essas manchas podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.


Também podem ocorrer caroços na pele, dormências, diminuição de força e inchaços nas mãos e nos pés, formigamentos ou sensação de choque nos braços e nas pernas, entupimento nasal e problemas nos olhos.


Transmissão


A hanseníase é transmitida por um bacilo por meio do contato próximo e prolongado com pequenas gotas de secreção que saem na respiração do paciente sem tratamento. O período em que a doença pode ficar escondida no organismo é prolongado e pode variar de dois a sete anos.


Diagnóstico e tratamento


O diagnóstico depende de exames clínicos feitos por médicos. Quanto mais rápido o paciente iniciar o tratamento adequado, mais rapidamente a doença deixa de ser transmissível e menores são as chances de surgirem incapacidades físicas. 


No Brasil, o tratamento é gratuito e oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os pacientes podem se tratar em casa, sem precisar se afastar da sua rotina e com supervisão periódica nas unidades básicas de saúde. 


O atendimento é feito por equipes multiprofissionais e o dermatologista tem um importante papel, sendo responsável pela avaliação clínica do paciente, com aplicação de testes de sensibilidade, análise e monitoramento da função dos nervos periféricos.



ENTRE EM CONTATO

FALE CONOSCO




(62) 3251-6826


contato@sbdgo.org.br


Av. Portugal, Qd. L29, Lt. 1E, 15° Andar, Sala B1509, Cond. Órion Business & Health Complex, Setor Marista. CEP: 74150-030 - Goiânia - GO


2017 - Todos os direitos reservados.