SBD-GO
NOTÍCIA


31
May

EM LIVE DA SBD-GO, DERMATOLOGISTAS EXPLICAM SOBRE PRINCIPAIS ALERGIAS DE PELE E SEUS TRATAMENTOS




A live da última quarta-feira (26), da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional Goiás (SBD-GO), no perfil no Instagram da entidade (@sbdgo), abordou as alergias dermatológicas e o uso de imunobiológicos como tratamentos. 


Para explicar sobre o assunto, foram convidadas as médicas dermatologistas Amanda Rodrigues Miranda (CRM/GO 15.019 - RQE 7.425 - @amandamirandaderma) e Mirian Lane de Oliveira Rodrigues Castilho (CRM 4683/GO - RQE 1726 - @dramiriancastilho).


Mirian iniciou a conversa com uma informação importante: “nem tudo que coça é alergia”. Isso porque os pacientes costumam associar diversas doenças de pele a um quadro alérgico, quando, na verdade, pode ser uma psoríase ou micose, por exemplo.


Com isso em mente, ele explicou sobre uma alergia verdadeira e muito comum, a dermatite atópica. “Ela é frequente em todos os países e as crianças e os adolescentes são os mais acometidos. Geralmente, aparece nos primeiros anos de vida, com lesões avermelhadas, prurido (coceira) e ressecamento na pele. Em alguns períodos, a dermatite some, em outros, volta a aparecer”, relatou a especialista, que sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), além de possuir PHD e doutorado em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo (USP).


Amanda acrescentou que a dermatite é, em muitas vezes, subnotificada, pois a maioria dos pacientes apresenta a forma leve ou moderada da doença. No entanto, o tratamento continua sendo essencial e, no caso das crianças, a família precisa entender que se trata de um problema crônico e que necessita de atenção constante. 


“Temos que orientar sobre a cronicidade da dermatite e o tratamento a longo prazo. É uma doença que vai melhorar no período da adolescência, mas, até lá, o paciente continuará tendo crises”, esclareceu ela, que também é membro da SBD e da SBCD, mestre em Ciências da Saúde e docente da Universidade de Rio Verde (UniRV). ⠀


As recomendações principais são: tomar banhos rápidos e com água fria ou morna; não usar esponjas; aplicar bons hidratantes (logo após o banho) e específicos para a doença; usar roupas leves, pois o suor piora o quadro; e ter atenção também aos shampoos, perfumes e quaisquer outros cosméticos que possam acarretar em crises. Caso esses hábitos não melhorem a situação, será necessário utilizar medicações orais ou imunobiológicos.


Esses últimos, segundo explicou Amanda, agem no mecanismo do processo inflamatório. “Eles têm uma ação não somente na crise, mas na terapia de manutenção. Depois que a gente tira o paciente da crise, começamos esses imunomoduladores pelo período de três meses, no mínimo”. 


Outro tipo de dermatite é a de contato. Como o nome diz, ela é gerada pelo contato com algum alergênico. Casos comuns são os de pessoas com alergias ao níquel, presente em bijuterias. Nesses pacientes, podem ser feitos testes de alergia, para identificar o que causa o problema, e são prescritos corticoides tópicos. 


Urticária


Enquanto a urticária crônica não tem origem alérgica e, sim, autoimune, a versão aguda da doença é uma alergia, de acordo com as médicas dermatologistas. 


A urticária aguda é aquela em que o paciente tem os sintomas há menos de seis semanas e a causa pode ser medicamentos, alimentos e infecções, como pela Covid-19.


O tratamento é feito com anti-histamínicos de 2ª geração (que não dão sono). Nas situações em que os remédios não tenham gerado bons efeitos, é usado o imunobiológico. “Isso (o imunobiológico) revolucionou a vida dos pacientes, pois antes eram usados imunossupressores, que baixam a imunidade geral do organismo”, mencionou Amanda Miranda.


A boa notícia contada pelas especialistas é que, em até cinco anos, 98% dos pacientes com urticária apresentam melhora. Em até dois anos, essa taxa é de 80%.


Contudo, como ressaltaram as médicas, o importante é não deixar de procurar o dermatologista para tratar as alergias de pele. Elas ressaltaram que a especialidade é a indicada para o tratamento desses problemas e não apenas o acompanhamento com o alergista.


Você pode conferir a live completa no Instagram da SBD-GO. Clique aqui.


Temas como esse e diversos outros são tratados semanalmente pela Sociedade, nas noites de todas as quartas-feiras. Participe!



ENTRE EM CONTATO

FALE CONOSCO




(62) 3251-6826


contato@sbdgo.org.br


Av. Portugal, Qd. L29, Lt. 1E, 15° Andar, Sala B1509, Cond. Órion Business & Health Complex, Setor Marista. CEP: 74150-030 - Goiânia - GO


2017 - Todos os direitos reservados.